Novo edital para Guarda Municipal de Belo Horizonte é publicado

Publicado em 3 de junho de 2019

Compartilhe!

Suspenso no dia 15 de maio de 2019, por falta de vagas para deficientes, a Fundação Guimarães Rosa publicou um novo edital para a Guarda Municipal. O certame oferta 500 vagas para candidatos de nível médio, 400 para candidatos do sexo masculino e 100 para o sexo feminino, sendo 50 vagas reservadas para deficientes.

A jornada de trabalho é de 40 horas semanais para receberem remuneração de R$ 1.851,21, sendo que o servidor fará jus a uma gratificação de disponibilidade integral de R$ 277,68 e adicional de risco de R$ R$ 740,48. Também serão acrescidos benefícios de vale transporte, vale refeição, vale lanche e bonificação por resultado de metas, resultados e indicadores.

As inscrições serão efetuadas, exclusivamente, pela internet, no site da banca organizadora, Fundação Guimarães Rosa, do dia 10 de junho de 2019 até 09 de julho de 2019. Quem já se inscreveu e pagou a taxa de inscrição até o dia 17 de maio de 2019 permanece inscrito no concurso. Quem efetuou a inscrição, porém não havia pagado a taxa de inscrição, poderá emitir a segunda via do boleto na área do candidato até o dia 12 de julho de 2019.

Vagas para deficientes –  Para concorrer a uma das vagas reservadas, o candidato deverá:

O candidato que se declarar com deficiência, se não eliminado nas etapas anteriores, será convocado para se submeter à perícia médica oficial promovida pela equipe da FGR, que analisará a qualificação do candidato como deficiente. O candidato que não se declarar com deficiência no ato da inscrição não terá direito de concorrer às vagas reservadas aos candidatos com deficiência. Apenas o envio do laudo médico não é suficiente para o candidato ter sua solicitação deferida.

Provas e etapas – A Prova Objetiva de Múltipla Escolha será realizada na cidade de Belo Horizonte (MG), no dia 18 de agosto de 2019 e conterá 50 questões.

A prova de Capacidade Física será composta dos seguintes testes:

Poderá ser utilizado, nas provas físicas, tecnologias assistivas que o candidato com deficiência já utilize, sem a necessidade de adaptações adicionais, inclusive durante o curso de formação e no estágio probatório.