Por que as carreiras militares estão chamando tanto a atenção dos jovens?

Publicado em 10 de junho de 2019

Compartilhe!

Devido à instabilidade do mercado de trabalho e financeiro, as carreiras militares vêm chamando a atenção de jovens que desejam uma estabilidade financeira e profissional. Nesse cenário, muitos jovens veem os concursos militares para fugirem da crise e ingressarem em um cargo público. As carreiras militares oferecem um soldo básico, gratificações, ascensão automática na carreira, aposentadoria integral e a vantagem de não exercer um trabalho monótono ou burocrático.

Desse modo, o salário básico dos militares, conhecido como soldo, para generais-de-Exército, almirantes-de-Esquadra e tenentes-brigadeiros é superior a R$ 13 mil, sem o somatório dos valores adicionais. Já com a soma das gratificações, esse valor pode ultrapassar os R$ 22 mil.

Mas engana-se quem vê somente pontos positivos na atuação militar. A rotina é bastante puxada e cansativa, além de exigir muito respeito pela autoridade, vigor físico, comprometimento extremo com os princípios de ética, ordem e trabalho em equipe.  As carreiras militares se diferenciam de acordo com a instituição que o interessado escolher para realizar sua formação, seja a Aeronáutica, Exército ou Marinha.

A Força Aérea Brasileira ou Aeronáutica está capacitada para atuar tanto na vigilância, quanto no controle e na defesa do espaço aéreo. Abrange, entre suas atividades, a busca, salvamento e a patrulha marítima, além das operações conjuntas determinadas pelo Ministro da Defesa.

O Exército Brasileiro age na proteção de nosso território. Sem prejuízo de outras funções, apoia atividades de Defesa Civil, participando de operações de paz, ajuda humanitária e ações de socorro e assistência às vítimas de desastres naturais, bem como nos procedimentos de recuperação e reconstrução.

A Marinha do Brasil é a Força Armada mais antiga e tem redimensionado sua atuação com a recente descoberta e exploração de riquezas como o Pré-Sal. Para profissionais de saúde, integrar a Marinha possibilita, dentre outras oportunidades, o desenvolvimento de diversas atividades sociais em locais específicos, levando procedimentos de saúde a populações ribeirinhas.

Concursos – Entrar para escolas militares requer muito esforço e dedicação. Os processos seletivos são concorridos a nível nacional, o que exige um acompanhamento e uma preparação especializada.  Vale ressaltar que cada Força Armada apresenta suas próprias formas de ingresso, para os diferentes níveis: nível superior, médio, fundamental e técnico.  No site de cada uma das Forças Armadas, Aeronáutica, Marinha e Exército, está disponível um guia de ingresso, bem como calendário com os concursos previstos em cada ano. 

O Ensino Médio, dentro do contexto da carreira militar, é representado pelas chamadas Escolas Preparatórias. Cada força militar no Brasil tem as suas próprias Escolas Preparatórias, que estão organizadas da seguinte maneira:

Situado na cidade de Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro, o Colégio Naval possui o intuito de preparar jovens para o ingresso na Escola Naval, estabelecimento de ensino superior responsável por formar os oficiais da Marinha. Por este motivo, o curso no Colégio Naval é conhecido como Curso de Preparação de Aspirantes. 

Durante os três anos de curso os alunos são considerados Praças Especiais, tornando-se aspirantes somente após ingresso na Escola Naval. No quinto ano na Escola Naval, que compreende Estágio e Viagem de Instrução, tornam-se Guarda-Marinha. No retorno ao Brasil passam a ocupar o posto de Segundo-Tenente.

Localizada na cidade de Campinas, SP, é o estabelecimento de ensino militar do Exército responsável por selecionar e preparar os jovens para o ingresso na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), iniciando a formação do oficial combatente do Exército Brasileiro. É para lá que convergem os jovens de todas as regiões do País, de diferentes condições sociais e das mais diversas religiões, marcando a pluralidade característica do povo brasileiro. Todos eles identificam-se com o ideal de defender a Pátria.

A Escola Preparatória de Cadetes do Ar – EPACAR é uma escola de ensino da Força Aérea Brasileira (FAB), sediada em Barbacena (MG). Sua missão é preparar jovens para ingresso no Curso de Formação de Oficiais Aviadores (CFOAv) da Academia da Força Aérea (AFA) por meio do CPCAR (Curso Preparatório de Cadetes do Ar), e ao mesmo tempo proporcioná-los o complemento do Ensino Médio.

As Academias Militares são igualmente disputadas, pois oferecem uma formação superior e técnica para os alunos. Além de se formar como profissional, quem conclui uma Academia Militar ainda recebe um título de Oficial Militar.

As Academias Militares no Brasil, administradas pelas Forças Armadas, estão organizadas da seguinte maneira:

Escola Naval Brasileira é uma instituição de Ensino Superior da Marinha do Brasil que tem por objetivo formar mental e fisicamente jovens brasileiros que irão ocupar os postos iniciais das carreiras dos Oficiais dos Corpos da Armada, de Fuzileiros Navais e de Intendentes da Marinha. Os cursos são realizados de modo diversificado, proporcionando habilitações de interesse militar-naval, dentro da área de Ciências Navais, tendo seu ensino estruturado em um Ciclo Escolar e um Ciclo Pós-Escolar.

O Ciclo Escolar, realizado pelo aluno na graduação de Aspirante, terá a duração de quatro anos letivos, para todos os cursos, sob regime de internato. Cada ano letivo compreenderá um Período de Verão e um Período Acadêmico.  Durante o período acadêmico serão realizadas as atividades de ensino, treinamento físico e formação militar-naval.

O regime de internato adotado permite o desenvolvimento de uma personalidade baseada em valores verdadeiros, elevado poder de reflexão, tempo e ambiente favorável para o Aspirante dedicar-se inteiramente à sua formação e alcançar o máximo desempenho de suas potencialidades. Ao final do Ciclo Escolar, prossegue-se a formação dos jovens, com o Ciclo Pós-Escolar, quando os Aspirantes passam à função de guarda-marinha.

Situada na cidade de Pirassununga (SP), é um estabelecimento de ensino superior, que integra o Sistema de Formação e Aperfeiçoamento do Comando da Aeronáutica. Sua finalidade é formar Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria da Força Aérea Brasileira, incentivando e aprimorando em cada Cadete os atributos intelectuais, morais e físicos, essenciais ao Oficial da Aeronáutica.

Os cursos de formação da AFA são equivalentes a cursos de graduação plena, os quais, embora não tenham similares no sistema civil, assemelham-se às áreas de Engenharia e de Administração. O aproveitamento do currículo nos cursos superiores civis é regulado pelo Conselho Federal de Educação do Ministério da Educação.

Situada à sombra do Pico das Agulhas Negras, de onde vem o seu nome, e às margens do Rio Paraíba do Sul e da Rodovia Presidente Dutra, tem sua sede na cidade de Resende (RJ).  A Academia impressiona devido à imponência de suas instalações, amplas pérgulas, confortáveis alojamentos, salas de aulas e bibliotecas espaçosas, salões culturais e dependências esportivas modernas.

É na AMAN que são formados os oficiais combatentes de carreira no Exército Brasileiro. O curso de Bacharel em Ciências Militares tem a duração de cinco anos, sendo o primeiro deles realizado na Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), em Campinas (SP) – instituição responsável pela seleção nacional para ingresso na AMAN. Nos quatro anos em que cursa a Academia, o aluno recebe sólida formação humanística, científica e tecnológica, essenciais para o prosseguimento na carreira militar. 

A Academia de Polícia Militar é o local destinado à formação do futuro oficial da polícia militar. Normalmente, após concluir o Curso de Formação de Oficiais, que na maioria dos estados brasileiros é considerado como um curso de graduação de nível superior (equiparado ao bacharelado em Segurança Pública, sendo assim denominado em algumas polícias), o cadete ou aluno-oficial é declarado aspirante-a-oficial onde, depois de decorrido certo período que funciona como estágio probatório, denominado arregimentação, ingressa no oficialato, no posto de segundo-tenente, podendo atingir até o posto de coronel.

Algumas academias costumam oferecer outros tipos de curso para formação de oficiais de seus quadros administrativos, como auxiliares, especialistas e de saúde.

O IME, criado em 1959, foi o resultado da fusão de dois Institutos de Engenharia do Exército que já existiam na época, a Escola Técnica do Exército e também o Instituto Militar de Tecnologia. Embora oficialmente o IME seja uma parte da carreira militar, ele aceita Civis (pessoas que fizeram o Ensino Médio normal).

O IME oferece gratuitamente vários cursos de Graduação, Pós-Graduação e Especializações. Ele é considerado uma verdadeira referência no Brasil e no mundo, sendo inclusive a terceira escola de Engenharia mais antiga da Era Moderna. Além de oferecer uma fortíssima formação em Engenharia, o IME também preserva o seu caráter dentro da carreira militar oferecendo muitas atividades esportivas e militares para a formação dos seus Engenheiros.

Além de oferecer cursos de Engenharia, dentro da carreira militar o IME permite que o aluno chegue até o posto de General de Divisão de Engenharia.

Assim como aconteceu com o IME, o ITA surgiu a partir da união de várias escolas de Engenharia diferentes da Aeronáutica. Criado em 1950 pelo alto comando da Aeronáutica para organizar melhor a carreira militar, unificando as escolas, o ITA desde então vem sendo uma grande referência de formação de profissionais da área deEngenharia Aeronáutica(construção de aviões), formando gerações e gerações de projetistas.

Os cursos de Engenharia do ITA estão divididos em 2 fases. Durante o 1° e 2° anos, na primeira fase do curso, os alunos estudam um conteúdo básico e geral de Engenharia, recebendo um salário mínimo, treinamento militar e esportivo básicos. A partir do 2° ano, o aluno pode optar: seguir o curso do ITA como Civil ou então seguir o curso do ITA dentro da carreira militar.

Os cursos de Engenharia para quem faz qualquer uma das duas opções são iguais. A diferença é que quem opta pela carreira militar vai receber instruções e conteúdos extras, tais como aulas de tiro, luta e atividades atléticas mais pesadas. Quem escolher estudar como Civil continua o curso normalmente, só com os estudos, sem a parte física e militar.

Seguindo dentro da carreira militar, ao se formar o aluno recebe, além do diploma de Engenharia, o título de Primeiro-Tenente Engenheiro.Caso opte por continuar ainda mais na carreira militar poderá chegar até o posto de Major-Brigadeiro.

Quem seguir a carreira militar do ITA também poderá optar por trabalhar como engenheiro dentro da própria Aeronáutica, sendo enviado para bases onde irá trabalhar com manutenção de aviões, caças e bombardeiros, teste de armas e também sistemas de defesa, tais como antimísseis ou baterias antiaéreas.

A Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante – EFOMM é uma Universidade do Mar, um centro de referência para a formação de Oficiais da Marinha Mercante, altamente qualificados, não só do Brasil, mas também para jovens cujo país de origem não tenha uma Escola de Marinha Mercante, ou para jovem cujo país de origem possua intercâmbio de alunos, como Peru, Panamá, Equador, República Dominicana, etc. O Brasil atende como referência para a América Central, América do Sul e Parte da África. Isso atesta o nível de capacitação profissional a que o Oficial brasileiro se lança no mercado.

Na EFOMM são formados Oficiais em duas opções de curso: o de Náutica e o de Máquinas. Tanto no curso de náutica quanto no de máquinas, os alunos estudam na Escola em regime de internato durante três anos.